©  2017 LEONCIO DE SOUZA QUEIROZ NETO

Consultório
(19) 3235-2202
(19) 3232-3227
Instituto Penido Burnier
Av. Andrade Neves, 683
Campinas - SP
  • White Facebook Icon
  • White Facebook Icon
  • White Facebook Icon
  • White Facebook Icon
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
Facebook: Dr. Leôncio Queiroz Neto
Facebook: Tenho Ceratocone
Facebook: Vencer o Glaucoma
Facebook: Cirurgia Refrativa
Facebook: Visão Nublada
Instagram: Dr. Leôncio Queiroz Neto
Canal de vídeo do Youtube
Acompanhe meu trabalho
através das redes sociais:

July 25, 2019

Please reload

Posts Recentes

Cresce espera por transplante de córnea

August 7, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Cirurgia de catarata melhora a qualidade de vida e a dirigibilidade

August 1, 2017

Hoje a Oftalmologia está equipada com tecnologias que permitem a completa integração das pessoas de terceira idade e que a CNH é muito importante neste processo por permitir a colaboração dos velhinhos com seus filhos que precisam trabalhar.

 

Quando o problema é catarata,  o tipo mais comum é o relacionado à idade que torna o cristalino opaco depois dos 50 anos. Mas pode ocorrer antes,  tendo como causa a diabetes, hereditariedade,  problemas congênitos, excessiva exposição à radiação ultravioleta ou medicamentos à base de cortisona .

 

 A catarata progride paulatinamente até a perda total da visão se não for operada. Na fase inicial, o sintoma mais comum é a facilidade de enxergar de perto que progride para uma maior sensibilidade à luz, reflexos e brilhos à noite, até a opacificação das cores e mudanças na cor da pupila.

 

A cirurgia de catarata substitui o cristalino opaco por uma lente intra-ocular transparente, por isso quem opera não corre o risco de voltar a ter a doença.  

 

No início, a cirurgia exigia um corte de 7 mm, as lentes eram rígidas e monofocais, além da recuperação ser demorada. 

Hoje é feito uma incisão na córnea de 2mm, as lentes são flexíveis mono ou multifocais e já não há necessidade nem de sutura da córnea.

 

Entre as lentes o avanço foi enorme. As primeiras lentes intra-oculares multifocais  foram as difrativas que buscavam o foco através da difração da luz , mas dependia de uma certa  capacidade de acomodação dos músculos ciliares. Depois foram lançadas lentes que usam uma alça rígida para fixação na bolsa do cristalino mas que não tem boa nitidez. Mais recentemente surgiram as lentes com capacidade de apodização que não dependem do bom desempenho dos músculos ciliares. A última geração são lentes com a tecnologia wavefront que diminuiu as aberrações negativas e melhorou muito a visão funcional permitindo maior contraste. 

 

Estas lentes, podem ser mono ou multifocais e são ideais para quem necessita dirigir à noite porque elimina os reflexos.

Na opinião dele, em um futuro breve só devem permanecer as lentes mono ou multifocais  com a tecnologia wavefront  que permite o visão bem próxima da proporcionada pelo cristalino  natural.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga