July 25, 2019

Please reload

Posts Recentes

Cresce espera por transplante de córnea

August 7, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

A LUZ AZUL E OS ALIMENTOS QUE EVITAM DEGENERAÇÃO E CATARATA

 

 

A luz é um importante elemento na oftalmologia porque é através dela que enxergamos. Quanto mais curto o comprimento, maior é o risco da exposição excessiva para a saúde dos olhos.

 

Por exemplo, a radiação ultravioleta emitida pelo sol tem o comprimento de onda entre 180 e 380 nanômetros. Quanto mais intensa, mais curta e maior a capacidade de penetrar nos delicados tecidos dos nossos olhos  causando doenças como catarata, pterígio e degeneração macular.

 

O comprimento de luz mais próximo ao ultravioleta é o da luz azul que varia de 450  a 500 nanômetros. Isso explica porque a luz azul emitida pelos leds, lâmpada fluorescente, telas de computador, tablet e até pelo celular pode a longo prazo causar alterações nos tecidos dos nossos olhos.

 

A importância desta pesquisa realizada pela universidade da Geórgia está na comprovação de que é possível reduzir o risco de doenças como a catarata e degeneração macular nas quais a luz tem uma importante participação.

 

Não podemos nos esquecer que o aumento da expectativa de vida no Brasil também está elevando o número de brasileiros com degeneração macular relacionada à idade, uma das principais causas da cegueira irreversível no mundo.  No Brasil, a doença atinge 10% da população com idade entre 65 e 74 anos e 30% dos maiores de 75 anos, sendo que a incidência é três vezes maior entre pessoas de baixa renda do que na classe A,  conforme levantamento realizado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia.

 

Toda nossa saúde, inclusive a ocular, depende de como nos alimentamos.  Vale destacar que a mácula, porção central da retina, é o local do nosso organismo onde se concentram os depósitos de  luteína e a zeaxantina que absorvemos. Por isso, na oftalmologia estas duas substâncias são chamadas de carotenoides maculares. O estudo mostra que quanto mais denso é o depósito desses carotenoides na mácula mais a luz azul é filtrada. É isso que explica a redução da fadiga visual no computador e também do risco de degeneração macular.

 

Não tem como dissociar a visão da luz e da alimentação. Em plena era digital é claro que ninguém vai deixar de  usar a  tecnologia de que dispomos. Mas o uso inteligente com a alimentação e  postura corretas, além de pequenos descansos para os olhos desviando o olhar para um ponto distante e piscando voluntariamente para umedecer os olhos podem fazer uma grande diferença.

 

A luz azul também regula a produção de hormônios responsáveis pelo estado de vigília e bem estar – a adrenalina e a serotonina. Por isso, as folhas verde escuro e os alimentos amarelos como abóbora, milho, gema de ovo que são ricos em zeaxantina auxiliam na qualidade do sono. Os olhos são a porta de entrada de toda nossa saúde.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga